Prejuízos causados pelos incêndios em canaviais

Atualmente, praticamente toda cana-de-açúcar é colhida mecanicamente, sem a utilização do fogo como método facilitador da despalha. A manta de palha deixada na área traz grandes benefícios à cultura, entre os quais podemos citar a adição de matéria orgânica pela mineralização da palhada, a conservação da umidade no solo, a proteção do solo contra erosão, a diminuição da amplitude térmica na superfície do solo e, nestes últimos anos, temos observado que alguns canaviais que tiveram a palha queimada sofreram ataques maciços de lagarta elasmo.

Portanto, neste período do ano (junho a agosto), quando praticamente não chove e a umidade do ar cai drasticamente, é preciso ter um monitoramento consistente do risco de incêndio em canaviais, com medidas preventivas, levantamento dos pontos críticos, brigadas contra incêndio e uma rede integrada de planos de ajuda mútua.

A queimada nos canaviais, além dos danos ambientais irreversíveis, neutraliza todos os benefícios acima enumerados, que, para maior clareza, explicaremos a seguir:

  1. Perda de matéria orgânica

A queima provoca a oxidação da matéria orgânica, reduzindo seu teor, com consequente degradação do solo. Em muitos solos arenosos, a matéria orgânica tem contribuição significativa na elevação da capacidade de troca catiônica do solo.

  1. Perda da capacidade de armazenamento de água

A eliminação da palha pela queima expõe o solo à ação direta dos raios solares, induzindo ao aquecimento do solo e à perda mais rápida da água via evaporação.

  1. Erosão do solo

A eliminação da palhada pela queima expõe o solo à ação direta das gotas de chuva, que provoca a deterioração dos agregados do solo (erosão por embate), provocando o selamento dos poros do solo, prejudicando a infiltração da água da chuva e por consequência, induzindo o escorrimento superficial da água (enxurrada).

  1. Ataque de pragas

Nos últimos anos, temos observado um aumento no ataque da lagarta elasmo nas áreas queimadas. Recentemente, visitamos uma área que teve um talhão queimado e do outro lado do carreador, um talhão sem queimar. A cana foi colhida no mesmo dia e, como podemos observar na imagem abaixo, a área que mantém a palhada praticamente não sofreu ataque da lagarta elasmo.

 

 

A lagarta elasmo ataca a gema do perfilho, provocando falha no canavial, que, às vezes, necessita até ser reformado.

Monte Aprazível, 29 de julho de 2018

João Sizuniro Aoki

Engº Agrº

Aplacana